Ignorar e ir para conteúdo principal
Pesquisar

Projecto Rovuma LNG em Moçambique adjudica contrato EPC onshore

• Concessionária adjudica ao consórcio global JGC, Fluor e TechnipFMC o contrato de engenharia, procurement e construção 
• Instalações onshore irão produzir anualmente mais de 15 milhões de toneladas de gás natural liquefeito (GNL)
• A produção de GNL esta prevista para iniciar em 2025

MAPUTO, Moçambique – A operadora da Área 4, Mozambique Rovuma Venture, adjudicou o contrato para a engenharia, procurement e construção do complexo de produção de gás natural liquefeito do projecto onshore Rovuma LNG para um consórcio composto pela JGC, Fluor e TechnipFMC (JFT).

Esta adjudicação, permitirá iniciar as actividades do projecto Rovuma LNG conforme aprovado pelo Governo de Moçambique em Junho de 2019, enquanto os parceiros da Área 4 continuam a trabalhar para tomar a decisão final de investimento em 2020.

O projecto Rovuma LNG irá produzir, liquefazer e comercializar gás natural de três reservatórios do complexo Mamba, localizados no bloco da Área 4 offshore, na Bacia de Rovuma. Este projecto inclui a construção de duas unidades de liquefação de gás natural, com uma capacidade total anual de 15,2 milhões de toneladas de GNL e respectivas infraestruturas onshore associadas. A Concessionária anunciou também ter recebido a aprovação do Governo para os contratos de compra e venda de GNL para a capacidade total do projeto Rovuma LNG.

Os parceiros da Área 4 irão avançar com os investimentos iniciais para as actividades midstream e upstream do projecto, avaliadas em mais de US500 milhões. Estes investimentos incluem actividades como a construção de um acampamento, actividades de reassentamento, construção da pista de aterragem e vias de acesso, bem como o início do projeto detalhado de engenharia das instalações de GNL.

"A adjudicação e execução do contrato de engenharia procurement e construção onshore é um passo significativo para o desenvolvimento do projecto Rovuma LNG de classe mundial" disse Peter Clarke, Vice-Presidente Sénior da Divisão Global de GNL da ExxonMobil. "Continuaremos a trabalhar com o Governo para maximizar os benefícios a longo prazo, que este projeto trará para o povo Moçambicano."

"A adjudicação do contrato EPC mostra o compromisso dos Parceiros para um progresso contínuo, de modo a garantir a conclusão do projecto e o início da produção de acordo com as expectativas, e para o benefício do país", disse Alessandro Puliti, Chief Upstream Officer da Eni.

"O acto que estamos hoje a testemunhar é um marco importante rumo a decisão final de investimento que esperamos que seja anunciada no primeiro semestre do ano próximo, isto é 2020", disse Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique. "Significa que o projecto Rovuma LNG da Área 4 na Bacia do Rovuma tem condições para avançar para as fases seguintes de desenvolvimento, construção, produção e comercialização".

Com o progresso alcançado até o momento, o Rovuma LNG continua com o plano de iniciar a sua produção em 2025.

Sobre Moçambique Rovuma Venture

A Área 4 é operada pela Mozambique Rovuma Venture S.p.A. (MRV), uma joint venture incorporada pela Eni, ExxonMobil e CNPC, que detém uma participação de 70% no Contrato de Concessão para Pesquisa e Produção da Área 4, em conjunto com a Galp, KOGAS e Empresa Nacional de Hidrocarbonetos E.P. cada uma com 10% de interesse participativo.

A ExxonMobil liderará a construção e operação de liquefação de gás natural e instalações relacionadas em nome da MRV, e a Eni liderará a construção e operação de instalações upstream.