Ignorar e ir para conteúdo principal
Pesquisar

Notícias

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018  

Empresas do consórcio da Área 4 asseguram compromissos de compra para o projeto Rovuma LNG

• A Área 4 assegurou compromissos de compra suficientes de empresas afiliadas dos parceiros do consórcio para avançar para uma decisão de investimento final para o projeto Rovuma LNG
• Os compromissos das empresas afiliadas constituirão a base para assegurar o financiamento do projeto 
• O governo está a analisar o plano de desenvolvimento proposto e o início da produção está previsto para 2024

Maputo, Moçambique – As empresas do consórcio da Área 4 asseguraram compromissos de compra de gás natural liquefeito (GNL) de empresas afiliadas dos parceiros, uma conquista importante que permite que os participantes possam avançar rapidamente para uma decisão de investimento final, em 2019, relativa à primeira fase do projeto Rovuma LNG. As empresas do consórcio da Área 4 são a ExxonMobil, a Eni, a China National Petroleum Corporation (CNPC), a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, a Kogas e a Galp.

Estes compromissos estão sujeitos à conclusão de acordos de venda do GNL, que serão finalizados e assinados nas próximas semanas, e à aprovação do governo de Moçambique.

“A equipa de marketing do projeto Rovuma LNG trabalhou a um ritmo acelerado para alcançar este importante marco, uma enorme conquista tornada possível graças à força das empresas do consórcio da Área 4 e ao apoio do governo de Moçambique”, afirmou Peter Clarke, presidente da ExxonMobil Gas & Power Marketing Company.

Massimo Mantovani, Chief Gas & LNG Marketing and Power Officer da Eni, afirma: “Estes compromissos são um passo importante para o projeto Rovuma LNG e constituem uma base sólida para garantir o financiamento do projeto. Esta conquista destaca a força da nossa parceria e o compromisso em desenvolver os recursos naturais de Moçambique.”

Em julho de 2018, a Mozambique Rovuma Venture enviou o plano de desenvolvimento ao governo de Moçambique para a primeira fase do projeto Rovuma LNG. O projeto irá produzir, liquefazer e vender gás natural proveniente dos campos de Mamba, localizados no bloco da Área 4 na bacia do Rovuma, ao largo da costa de Moçambique. A ExxonMobil irá liderar a construção e o funcionamento das instalações de liquefação de gás natural e das infraestruturas associadas em nome da joint venture da Área 4, e a Eni irá liderar a construção e o funcionamento das instalações upstream.

O plano de desenvolvimento para a primeira fase do projeto Rovuma LNG especifica a proposta de conceção e a construção de duas unidades de liquefação, com capacidade para produzir 7,6 milhões de toneladas de GNL por ano cada. A Mozambique Rovuma Venture está atualmente a analisar os detalhes do plano de desenvolvimento com o governo de Moçambique.

Além de gerar receita para o governo, o projeto Rovuma LNG irá sustentar o crescimento económico de Moçambique a longo prazo através do desenvolvimento da mão de obra local, do aproveitamento de capacidades e da procura de fornecedores locais e do auxílio nos esforços de desenvolvimento comunitário.

A Mozambique Rovuma Venture S.p.A., uma joint venture constituída e detida pela ExxonMobil, a Eni e a CNPC, tem uma participação de 70% no contrato de concessão de produção e exploração da Área 4, juntamente com a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, a Galp e a Kogas, cada uma com uma participação de 10%.

Acerca da ExxonMobil

A ExxonMobil, a maior empresa de capital aberto de petróleo e gás do mundo, recorre à tecnologia e à inovação para ajudar a satisfazer as crescentes necessidades energéticas do mundo. A ExxonMobil possui um inventário de recursos líder no setor, é uma das maiores empresas de refinação e comercialização de produtos petrolíferos e a sua empresa de produtos químicos é uma das maiores do mundo. Para mais informações, visite www.exxonmobil.com ou siga-nos no Twitter www.twitter.com/exxonmobil.

Advertência: as declarações de eventos ou condições futuras no presente comunicado são declarações prospetivas. Os resultados futuros reais, incluindo o planeamento do projeto, as capacidades e os prazos, podem variar com base em alterações nos preços a longo prazo do petróleo e do gás natural e noutros fatores de mercado que afetem o setor do petróleo e do gás; o resultado das negociações comerciais; a capacidade de assegurar o financiamento do projeto em termos aceitáveis; a obtenção das aprovações governamentais necessárias; decisões de investimento finais das empresas do consórcio; o resultado de trabalhos de desenvolvimento futuros; as condições económicas, incluindo a ocorrência e a duração de recessões económicas; alterações nos regulamentos ou nas políticas do governo, incluindo obrigações fiscais e ambientais; as ações da concorrência; e outros fatores abordados neste comunicado e na secção “Fatores que afetam os resultados futuros” na página Investidores do website da ExxonMobil em exxonmobil.com. As referências a gás natural, recursos e termos semelhantes no presente comunicado incluem quantidades que não estão classificadas como reservas provadas segundo os regulamentos SEC, mas que esperamos que sejam eventualmente produzidas e consideradas reserva provada.

**As referências estenográficas no presente comunicado são utilizadas apenas por motivos de conveniência. Nada no presente comunicado visa sobrepor-se à separação corporativa das empresas afiliadas ou das empresas do consórcio.